fundo_cemh.jpg

Cohousing no Brasil

À medida que se espalharam pelo mundo, as comunidades cohousing ganharam diferentes estilos ao se adaptarem às culturas locais, resguardando os seis elementos que as definem. O estilo americano de cohousing é certamente diferente do estilo dinamarquês, ou do estilo alemão, ou ainda do estilo holandês, sueco, espanhol, inglês, australiano ou neozelandês.  

Por ser tão recente no nosso país, a cohousing com cara do Brasil – aquela que se coaduna com a nossa cultura, arquitetura, condições climáticas, etc. – ainda está em construção.

As comunidades cohousing a serem implantadas no Brasil têm a oportunidade de incorporar não só o que as comunidades similares no exterior têm de melhor, mas também soluções criativas para as mudanças que as sociedades passam neste momento.

A partir da pandemia de 2020, a proposta de formar comunidades intencionais priorizando interação social, solidariedade e apoio mútuo, com pessoas motivadas por visões e valores compartilhados, passou a ser ainda mais atraente.

A reorganização da economia, com a implantação progressiva de robôs no sistema produtivo e de sistemas informatizados no varejo, levará ao desaparecimento progressivo de parte significativa do emprego como conhecemos hoje. Nos próximos dez anos 50% dos empregos atuais serão impactados pela automação (
https://www.weforum.org/agenda/2020/01/future-of-work/). Parcela desses empregos serão convertidos em home-office e coworking, que podem ser previstos tanto nos projetos das comunidades multigeracionais, quanto nas 50+/sênior. 
As mudanças demográficas no Brasil, decorrentes 
✔    do aumento da longevidade; 
✔    da diminuição do tamanho das famílias;
✔    da mobilidade dos filhos;
✔    do alto número de pessoas sozinhas na fase mais tardia da vida; 
conspiram a favor de cohousing sênior (
https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao.html)
No Brasil, cohousing também seria uma grande opção para os crescentes percentuais de estruturas familiares diversificadas e de pessoas com limitações leves e para criação de alternativas visando incorporar e manter ativas na sociedade as pessoas após a aposentadoria. 


Cohousing no Brasil -  LINHA DO TEMPO

Até o momento – maio, 2021 – não existe nenhuma cohousing implantada no Brasil. O próprio conceito ainda é pouco conhecido. No passado recente, vários grupos se organizaram com o objetivo traçado de construir uma cohousing. As principais dificuldades enfrentadas por estes grupos são a demora em recrutar interessados, os conflitos de opiniões, o tempo necessário para a formação do espírito comunitário e a falta de acordo sobre o local a ser escolhido para implantação do empreendimento.

A formação no país de arquitetos e facilitadores especializados em cohousing contribuirá enormemente no processo de construção de novas comunidades, abreviando o seu tempo de implantação.